Alunos de Pirituba desenvolvem solução em segurança no trabalho

Selecionados por programa de aceleração, estudantes da Etec criam projeto destinado a microempresários da periferia para desburocratizar processos

Felipe Pereira dos Santos, de 18 anos, e Victor Hugo da Silva Ferreira, de 19, alunos do Ensino Técnico Integrado ao Médio em Segurança do Trabalho, estão com todas as ferramentas em mãos para facilitar o trabalho de quem quer tornar o ambiente organizacional mais seguro. Recém-formados na Escola Técnica Estadual (Etec) Prof.ª Dr.ª Doroti Kiomi Kanashiro Toyohara, em Pirituba, zona norte da Capital paulista, eles receberão gradativamente um investimento de R$ 32 mil para aprimorar o Py.Tech, por meio do programa Vai Tec, da Prefeitura de São Paulo.

O programa promete desburocratizar procedimentos de segurança dentro de empresas, ajudando especialmente quem tem micro e pequenos negócios e ainda precisa se ajustar ao portal eSocial, sistema do Governo Federal para anotação e fiscalização de normas trabalhistas e previdenciárias no Brasil, cujo prazo de adequação é 2028. O app trará um diagnóstico sobre a regularização da empresa às normas vigentes e orientará sobre os passos necessários para essa adequação. A análise será possível a partir de um check list, gerando uma pontuação. Os ex-alunos já começaram a atender os primeiros clientes em preços promocionais de lançamento.

“Faremos essa documentação para as empresas em uma plataforma parcialmente digital e estamos elaborando ferramentas para avaliação de risco e análises qualitativa e quantitativa”, conta Felipe. A criação do programa, ele explica, vem de uma lacuna na formação do profissional de segurança do trabalho para atender microempreendedores das comunidades.  “Não existe ferramenta parecida com a que estamos fazendo, pois ela atinge não só as grandes empresas, mas especialmente pequenos empresários das periferias, onde moramos, que não têm conhecimento e podem ser pegos de surpresa com as novas regulamentações. Pensamos que não havia ninguém olhando para essas pessoas.”

O Py.tech poderá ser contratado por esses gestores para evitar problemas com fiscalização e regularizar a empresa. A intenção é oferecer preços abaixo dos que existem hoje no mercado, tendo em vista o público-alvo do projeto.

Neste momento, além das mentorias do programa Vai Tec e da construção técnica do produto final, os autores do projeto se aprofundam em conhecer as necessidades do mercado. Eles estão fazendo pesquisa de campo para levantar quais as maiores dificuldades dos principais clientes e, dessa forma, definir os serviços que precisam ser inseridos na plataforma.

Veia empreendedora 

O casamento entre conhecimento técnico e visão empreendedora despertou em Felipe e Victor, em 2015, quando participaram do programa StartUp in School, uma parceria do Centro Paula Souza (CPS) com a consultoria Ideias de Futuro, que já beneficiou mais de 30 mil alunos. Impulsionados pelo aprendizado da breve mentoria, eles criaram um app de reciclagem, o Ecoplanet, que os levou a receber uma bolsa de estudos de Cidadania e Microinformática no Laboratório de Sustentabilidade (Lassu), ligado à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Lá aprenderam a programar para web e nasceu a ideia do Py.tech.

117 views
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.